Subscribe:

Eu com Javé

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Errei! E Agora?

No livro de Genesis encontramos o mito da criação do mundo e já no capítulo 3 nos deparamos com a forma mais comum de lidar com os problemas que podemos perceber ainda nos dias atuais. Esse método é: Negar a Responsabilidade!

Muitos acreditam que a forma mais fácil de tratar uma dificuldade é mentindo ou transferindo suas responsabilidades para outrem, ou fatores e circunstancias diversas. Em Gênesis 3:12-13. Adão coloca a culpa na mulher e a mulher transfere sua culpa para a serpente. Não assumiram que havia em si a tentação de ser como Deus, ter o poder de conhecer o bem e o mal. (Gênesis 3:5-6).

O verso 6 do capitulo 3 diz que Eva viu que era boa, agradável aos olhos e desejável para suprir a vontade. Aqui já posso afirmar a maior causa de cairmos em erros. Deixar-nos convencer que precisamos satisfazer uma vontade, como fez Eva. Precisamos aprender a diferenciar as vontades das nossas necessidades. Deus sempre suprirá todas as nossas necessidades (Mateus 6:25-33), mas os nossos desejos, vontades, podem destoar dos ensinamentos de Deus (Romanos 7:14-20).

A vontade ao mal é nata, está em nós, é presente desde o principio, mas como disse o Senhor a Caim no verso 7 do capitulo 4 de Gênesis, no mais claro momento Kairós, oportunidade dada por Deus de fazer o bem:

“Se procederes bem, não se restabelecerá o teu semblante? (ser aceito) Mas, se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e o desejo dele será contra ti; mas tu deves dominá-lo.”

Caim, porém não percebeu o Agir de Deus, que é Kairós, em todo momento, que é presente, que tenta nos conduzir para o melhor. E escolheu errar. Ele escolheu a sua vontade destrutiva, escolheu não aceitar as suas falhas, escolheu não melhorar, não mudar. E ao invés de mover-se para um lugar melhor, decidiu eliminar o outro ser, semelhante a ti, mas que julgava superior.

Adão, Eva, Caim, Eu e Você... Erramos, pecamos. E agora?

Agora se segura na Graça meu irmão! Ela já nos foi dada através de Jesus. Costumamos citar milhares de textos no novo testamento para definir a Graça de Deus. Serei simples e lhes trago o texto de 2 Crônicas. Graça é a disposição de um Deus que te ama, mais do que você é capaz de imaginar, de te trazer para perto dele novamente.

“E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7:14).

O Senhor diz que aqueles que o amam, que se chamam pelo seu nome, precisam ter a humildade de conversar com ele, reconhecê-lo como Deus, buscar o conhecimento para sair dos caminhos errados, mudar seus caminhos. Estes que reconhecem que andaram por caminhos que fazem mal para si e para outros e mudam este caminho através da metanóia, (Romanos 12:2).

Metanóia é uma palavra grega e significa arrependimento, conversão (tanto espiritual, bem como intelectual), mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitudes, temperamentos; caráter trabalhado e evoluído. Os que tomam o caminho da metanóia acham a graça de Deus que nos foi dada por Cristo. Quando aceitamos Jesus como Senhor e Salvador da nossa vida sabemos que:

A nossa velha natureza humana foi crucificada com Ele, para que o corpo sujeito ao pecado fosse destruído, a fim de não servirmos mais ao pecado. Pois quem está morto foi justificado do pecado. Se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com Ele, sabendo que, tendo sido ressuscitado dentre os mortos, Cristo já não morre mais; a morte não tem mais domínio sobre ele.” (Romanos 6:6-9)

Toda a luta e violência do cristão deve ser contra sua própria natureza, e não tome isso como se menosprezar, se maldizer ou se maltratar, saiba que o diabo e os seus, a morte do pecado não tem domínio sobre as nossas vidas, pois já morremos para o pecado. Crendo nisso devemos batalhar todos os dias com violência contra as nossas vontades ao mal, contra o nosso desejo de fazer mal ao próximo, à natureza, contra a discriminação e o preconceito, de raça, de credo, de cor ou de gênero, contra toda miséria social e intelectual, contra a inércia, a vontade de ficar no banco da igreja e apenas assistir culto, contra a vontade de ser melhor que o outro, de ter o que não preciso, de ter o que não me pertence, de falar o que não é verdade, de me intrometer onde não sou chamado, de falar mal da vida dos outros, contra a satisfação de dar esmolas, migalhas, contra a injustiça social, contra a falta de indignação, contra a mentalidade que acha normal existir ricos e pobres quando somos todos iguais, contra o egoísmo, contra a insubordinação aos lideres, ao pastor da igreja, as autoridades civis, contra a homofobia, contra qualquer fobia, qualquer medo, ansiedade ou insegurança, contra o bullying, contra a religiosidade vazia, sem profundidade no Conhecer e prosseguir em conhecer o Senhor (Oseias 6:3). Precisamos lutar todos os dias contra nós mesmos, contra a nossa carne.

Erramos sempre porque somos humanos e disso não podemos deixar de ser. Agora que nos arrependemos, precisamos voltar, corrigir, arrepender e viver com Deus, aprendendo da sua palavra. Precisamos ter a humildade de rasgar a reputação quantas vezes forem necessárias e voltar, arrepender e corrigir o caminho. Que Deus nos abençoe nesta luta.

Adam, Eva e Caim tiveram a oportunidade de assumir suas responsabilidades diante dos seus erros, mas não o fizeram. Você e Eu agiremos da mesma forma?

1 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget